• Os drones do Google chegarão à sua casa em 2017

    Pelo menos essa é a promessa da empresa, que, através do “Project Wing” (“Projeto Asas”), visa tornar a utilização comercial de drones viável e oficial em no máximo dois anos. Quem estabeleceu esse compromisso foi o próprio líder do projeto, David Vos. Porém, restam ainda algumas dúvidas de como esse serviço funcionará – ou até mesmo se poderá funcionar – e com qual propósito.

    Foto: divulgação

    Foto: divulgação

    Project Wings: os robôs do Google

    Segundo Vos, a ideia inicial é utilizar os drones para levar produtos até o consumidor em no máximo 30 minutos. Mas ainda não está claro como isso acontecerá, já que o próprio Google não possui um serviço de compras específico – talvez isso signifique uma ampliação do Google Shopping. Além disso, outro empecilho da entrega através de drones são as limitações do próprio equipamento: ele suporta cerca de 2,3kg, o que restringiria as entregas através de dos “robôs voadores”.

    Bastante promissora e em evidência no momento, a tecnologia dos drones como forma de entrega não chega a ser uma novidade. Grandes companhias do segmento de e-commerce, como Amazon, Alibaba e até Wallmart, já realizaram testes ou pretendem utilizar esse processo em curto a médio prazo. Porém, pelo jeito, o Google leva vantagem nessa corrida e deve ser a primeira grande empresa a usar os drones comercialmente em grande escala.

    Uso dos drones ainda é incerto

    Uma boa explicação para o sucesso em implementar os drones em um curto espaço de tempo talvez seja explicado por uma razão simples: o Google já trabalhava nesse projeto há algum tempo – o Project Wing havia sido apresentado pela companhia em 2014, ainda como parte da divisão de pesquisas Google X. Tudo indica que, de lá para cá, aconteceram grandes melhorias no projeto, já que o seu lançamento deve ser em 2017.

    No entanto, ainda há outras dificuldades pelas quais o Project Wings precisa passar antes de que os robozinhos entreguem suas compras como num filme de ficção científica, e a principal delas é justamente com relação à legalidade e à segurança do serviço. O Google ainda não anunciou quais serão os primeiros países a receberem a entrega por drones, o que pode indicar que a empresa ainda está avaliando questões jurídicas de vários locais para conseguir entrar no mercado de forma segura e correta – especialmente nos EUA, que possuem maior rigor com relação a esse tipo de serviço.

    Foto: divulgação

    Foto: divulgação

    Apesar de dúvidas e especulações de como isso vai acontecer, a certeza é que o Google vai usar drones comercialmente daqui a dois anos. Até lá, você ainda vai ter que se contentar com o carteiro, mas, pelo jeito, no futuro as entregas serão mesmo feitas por robôs.

    Esse post foi uma colaboração do Ramiro Martini da Cinco TI, uma das melhores empresas de tecnologia do sul do país.